segunda-feira, 19 de junho de 2017

CONTO - A DIRETORA DA EMPRESA DESCOBRIU MEU FETICHE POR BOTAS - PARTE 1

Se trata de uma historia real, portanto não vou dar muitos detalhes por motivos óbvios. Trabalho em uma empresa de médio porte, cuido da parte de T.I. da empresa junto com mais 2 colegas, eu como sou o mais novo no cargo, 7 meses, acabo fazendo alguns trabalhos mais chatos. Certo dia recebemos uma solicitação da diretora geral da empresa que fica abaixo só do presidente aqui no Brasil. Ela é uma mulher elegante, fina, tem um ar de seriedade e exigência, mas não chega a ser arrogante. Ela tem por volta de 40 poucos anos, quando vai com alguns decotes percebemos que tem peitos médios, ninguém ousa perguntar mas arrisco dizer que são silicone por parecerem durinhos. Voltando ao dia em questão, o chamado era por conta de um erro no notebook dela, o cabo de rede ou o ponto de rede deviam estar com problemas então teríamos que entrar em baixo da mesa dela e refazer os conectores, e adivinha pra quem sobrou?
Na sala fica a diretora e mais alguns subordinados dela, mas devido ao cargo, a diretora fica num canto em que tem uma visão geral  da sala enquanto os subordinados ficam alguns de lado e outros de costas pra ela.



Cheguei na sala, cumprimentei os que estavam presentes e fui até ela, dei bom dia de forma educada e infelizmente nesse dia ela não estava com decote, era um dia frio então ela vestia uma blusa tipo tricotada eu acho e um blazer por cima. Ela me cumprimentou, agradeceu que vim pra atender a solicitação mas avisou que estava muito ocupada e não poderia parar o que estava fazendo, disse que estava usando pelo wifi do notebook e dava pra se virar por enquanto. Pra resolver logo isso, eu disse que poderia fazer o trabalho sem que ela precisasse sair do lugar, era só afastar um pouquinho que eu já cabia em baixo da mesa, ela então concordou, afastou um pouco, fui até o outro lado da mesa e tive uma agradável surpresa, ela estava com uma saia social, meia-calça e lindas botas de couro marrom, parecidas com essas das fotos.



Em uma fração de segundos meu coração disparou, sempre fui louco por botas, já tinha reparado que essa diretora gostava de usar botas mas nunca imaginaria que ficaria tão perto assim, foi bater o olho naquelas botas que já comecei imaginar 1 milhão de coisas, tudo muito rápido, nem sei se ela percebeu e eu evitei ficar olhando fixamente mas já fui logo me abaixando e entrando de baixo da mesa. As mesas são tampadas portanto o resto do pessoal da sala sabia que eu estava ali mexendo mas não conseguiam me ver e nem eu a eles. Tentei me concentrar no que precisava fazer, mas ter aquelas botas lindas, ainda com cheiro de novas, tão perto de mim tiravam minha concentração. A diretora continuo o que estava fazendo, ela estava sentada normalmente, hora falava no telefone, hora digitava emails. Em um determinado momento enquanto tentava reparar o cabo eu acidentalmente esbarrei nas botas, realmente foi sem querer então pedi desculpas, ela disse que tudo bem, só pediu pra ter cuidado pois eram botas caras, isso foi o suficiente pra me deixar de pau duro. Foi um esbarrãozinho com as costas da mão mas deu pra sentir aquele tecido gostoso, não tinha necessidade dela ter falado pra ter cuidado muito menos falar do valor, mas tudo bem, quem trabalha com esse tipo de pessoa sabe que não perdem oportunidade de estar sempre acima de seus subordinados e devido a minha proximidade e excitação nem dei importância, só conseguia pensar em tocar, beijar, lamber e me aproximar mais das botas.

Depois dessa esbarrada redobrei meu cuidado e já estava quase terminando quando ela levantou e foi até a mesa de algum dos colaboradores fazer algo e voltou, o problema foi quando ela se sentou, ela ficou com as botas ainda mais perto de mim, e aquela situação toda já tava me deixando louco, eu precisava terminar e sair logo dali, porém com um serviço bem feito, mas não conseguia me concentrar direito até que aconteceu algo que mudou tudo, ela pisou na minha mão com o salto, não chegou a doer mas tomei um susto, olhei pra ela e ela nem percebeu ou fingiu que não percebeu, pois estava em uma ligação e nem pra mim olhou. Comecei a imaginar se ela tinha percebido minha agitação, se tinha percebido o quanto eu olhava pras botas delas, fiquei morrendo de medo de ela interpretar mal e ter pisado como forma de advertência, mas ela não disse uma palavra se quer. Já estava dando a hora do almoço e o pessoal começou a sair pra almoçar e nada dela sair do telefone, até que ficamos só nós 2 na sala.

Um comentário:

  1. Eita cara, no seu lugar não sei se conseguiria disfarçar kkkkkkk

    ResponderExcluir