segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

CONTO - OS PÉS DA MINHA EX

Havia programado a postagem e não revisei, o texto estava em branco, segue a re-postagem:


Original: http://www.casadoscontos.com.br/texto/200901623

Antes de iniciar vou descrever os pés dela. Ela tinha na epoca seus 22 anos, morena clara dona de um par de pés tamanho 35, com solas macias, com as unhas sempre pintadas de cintilante ou francesinha o que combinava sempre com a pele de seus pés que eram branquinhos e rosados na ponta dos dedos. Toda semana ela mesma fazia os pés sabendo que nos finais de semana ganharia uma bela de uma massagem pois o que mais gostava de fazer em seus pés. A minha adoração era tão grande por aqueles pés que durante a semana passava pensando um te-los para massagear e lambe-los. Como não podia te-los durante a semana eu combinei com ela que durante uma semana inteira ela usaria a mesma meia e a mesma bota para que ficasse um cheiro de seus pés para que eu pudesse sempre que possivel cheirar esta meia.
Então para me satisfazer ela fez o que pedi usando a meia durante uma semana com a mesma bota. Na sexta feira quando fui pegar a meia que ela ainda usava depois de uma longa caminhada no Centro da cidade e no shopping ao retirar as botas de seus pés pude sentir o aroma dos seus pés e sentir também que sua meia estava molhada de suor dos pés. Ao retirar as meias sentir que seus pés estavam molhados de suor. Ao pegar as meias logo em seguida guardei em um saco plastico que havia levado para manter aquele cheiro gostoso. So para que vocês tenham uma ideia do cheiro, não era um chule pois mesmo com todo aquele suor seus pés exalavam um cheiro que era uma mistura de creme com o couro da bota e um pouco do cheiro caracteristico de seus pés. Este cheiro caracteristico, quem já cheirou varios pés femininos sabe do que estou falando. Eu já tive a sorte de cheirar vários pés e pude constatar que cada um deles teve um cheiro particular, um cheiro de pele da mulher. Feito este relato do cheiro de seus pés daquele momento, vamos a uma das cenas que mais gostava de fazer. Como sabia que apesar de saber que eu amava aqueles pés o maximo que fazia com aqueles pés, enquanto ela estava acorada, era massagea-los e no maximo cheira-los. Ela falava que tinha um desconforto quando lambia seus pés, ela não gostava.
Então já que acordada ela não gostava que eu lambesse seus pés, percebi que ela tinha um sono muito pesado e que era a oportunidade de fazer o que queria com aqueles pés. Pois bem, sempre aos sabados ela costumava ir em minha casa onde assistiamos a TV na sala e para não deitar nos sofás eu costumeiramente e propositalmente levava meu colchão até a sala. Parecia marcado, ela costumava assistir a novela da oito e na sequencia quando começava a Zorra Total ela começava a cochilar. Neste momento sempre oferecia a minha massagem o que ajudava ela a relaxar ainda mais e assim a cair no sono profundo. Para fazer esta massagem sempre tinha o prazer de tirar suas meias ou então em dias de calor tirar suas sandalias ou mules. Sempre me posicionava estrategicamente deitando sob seus pés de tal maneira que seu pé esquerdo sempre ficava em cima de um travesseiro para ficar mais alto para poder ver e massager desde o calcanhar até os dedos dos pés e o pé direito sempre ficava no colchão distante do pé esquerdo como relatarei na continuidade deste conto. Pois bem, esta massagem sempre ia até acabar a Zorra e começar o Super Cine. Neste momento ela já estava em um sono profundo o que se caracterizava através se seu ronco. Ao perceber que ela dormira profundamente começava o meu maior prazer. Como relatei anteriormente o posicionamento do meu corpo aos pés da minha ex era estrategicamente pensado. Ao colocar o pé esquerdo na almofada além de fazer a massagem como relatei podia muito bem lamber seus pés desde o calcanhar até os dedos dos pés e ao colocar o pé direito no proprio colchão distante do pé esquerdo era para dar a distancia exata do pé esquerto que ficava em meu rosto e o direito que ficava com meu penis. Ela dormindo a primeira coisa que costumava fazer era cheirar os dois pés e lamber o direito antes deste ficaria cheio de porra. O cheiro e o sabor dos seus pés variava conforme a utilização do modelo de calcado. Eu particularmente gostava mais do cheiro e do gosto de seus pés quando ela estava calçando sandalias pois o cheiro era mais forte e gostoso. Voltando a cena, depois que ela pegava no sono e eu cheirasse profundamente os dois pés e lembesse inteiramente o pé direito, ficava em uma posição que pudesse sentir o aroma e o gosto do pé esquerto e o calor e a maciez do pé direito em meu penis que neste neste momento estava duro que nem uma pedra. Eu ficava nesta posição até saborear cada parte do pé esquerdo, labendo lentamente a sua cola em direção a parte mais gostosa de um pé feminino, que são entre os dedos dos pés. Entre os dedos costumava deixar minha lingua presa entre o dedão e o dedo medio. Ao passar a lingua entre aqueles dedos sentia o mais saborodo dos sabores. Chupava cada dedo como se fosse um pirulito e sua sola como se fosse um sorvete no mesmo momento em que labia seu pé esquerdo meu penis estava sentindo a maciez e o calor do pé direito que esquentava mais a cada momento devido ao tesão e principalmente pelo contato de ida e vinda sobre seu pé. Quando não aguentava mais, costumava gozar entre os dedos do pé direito e deixa a minha porra escorrendo na sola. Esta cena se repetiu durante quase 3 anos sempre todo sabado imaginem o quanto de porra seu pé direito não levou fora as vezes que viajamos e dormiamos juntos. Sinto uma grande falta de poder massager aqueles pés e peincipalmente desfrutar naqueles que foram os pés mais perfeitos que ja tive, Bem pessoal espero que tenham gostado deste conto, assim que puder deixarei outros relatos com estes pés lindos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário