domingo, 22 de novembro de 2015

CONTO - AOS PÉS DA MINHA SÓCIA

Retirado de: http://www.casadoscontos.com.br/texto/200810373




Meu nome é Alexandra, sou casada, bissexual e somos swinger há algum tempo, conheci minha sócia, Adriana, em um clube de swing, desde o primeiro momento a afinidade foi bem grande e já fizemos diversas festinhas os quatro juntos. Nós duas temos personalidade bem forte o que ocasiona algumas discussões no trabalho, não é um exagero dizer que sempre existiu uma certa competição entre a gente. Temos as duas a mesma idade, 30 anos, eu morena, cabelos compridos, 1,67m, tipo mignon. A Adri é loira, um pouco, mais baixa, super sarada, e cheia de curvas, uma bunda simplesmente maravilhosa e peitos bem grande (silicone, como a maiorias das mulheres que freqüenta esse "circuito"). Ela é o tipo de mulher que todos os homens olham quando entra em um lugar e sem falsa modéstia eu também não sou o tipo que passa despercebida.
Meu marido tem fetiche por pés e é louco pelos pés da Adri (que são muito bonitos mesmo, bastante delicados e macios), o que as vezes me deixa com um pouco de ciúmes, mas já aprendi a aceitar e gostar desse fetiche dele há muito tempo. É bastante comum no final de noite pegar ele todo excitado fazendo uma massagem e beijando os pés da Adri, como já transamos várias vezes, ela já sacou as fantasias de submissão dele e quando estamos a sós sempre chama ele de "meu escravinho", as vezes acho que ela faz isso só para me provocar, mas sei que ele fica bem excitado com isso e, como já disse, aprendi a aceitar esse fetiche.
Até hoje todas nossas brincadeiras tinham sido a quatro, nós e os dois marido, mas hoje eu e a Adri passamos a tarde toda organizando um evento para um cliente, andamos o dia inteiro e quando chegamos ao escritório estávamos exaustas, sentamos e começamos a conversar sobre o dia, quando ela fala num tom meio debochado:
"Meus pés estão me matando, como eu queria que meu escravinho estivesse aqui para fazer aquela massagem".
Pensando no tesão que meu marido ia ficar quando contasse, falei:
"Pode deixar que eu dou um jeito nisso".
Mal terminei a frase, ela colocou os pés no meu colo e mandou eu tirar a suas botas, achei ela meio folgada, mas fiz, pensando no meu marido. Estava um dia quente, tínhamos andado o dia inteiro e ela estava com os pés muito suados e com um cheiro relativamente forte. Comecei a massagear um dos pés, via no rosto dela como ela estava adorando me ver naquela situação.
"Hum, que delicia, acho que vou me acostumar com isso! Meus pés estão muitos suados, como está o cheiro?". Perguntou, colocando um dos pés na minha cara, chegando a tocar os meus lábios. Na hora eu pensei o quanto meu marido ia ficar tarado quando eu contasse, pensei no gosto delicioso daquela mulher (que eu já tinha experimentado várias vezes), senti aquele cheiro forte e fui ficando toda molhada. Olhei para o rosto dela e disse:
"Seu cheiro é sempre delicioso".
"Então pq não faz como seu maridinho e dá uns beijinhos, já me acostumei com esse tratamento", ela falava e ria. Eu já bastante excitada, obedeci e comecei a chupar cada dedinho. Ela vendo que eu já estava excitada, começou a esfregar o outro pé na minha bucetinha enquanto falava:
"Acho que ganhei uma nova escravinha".
Fique massageando e beijando por um tempo, até que ela se levanta e manda eu tirar a roupa, o que fiz sem questionar. Enquanto eu me despia, ela fazia o mesmo, eu já nua e com muito tesão não conseguia tirar os olhos daquele corpo sarado. Ela se aproximou de mim, agarrou meus cabelos e mandou que eu me ajoelhasse, puxou meus cabelos mandando eu cheirar sua bucetinha. Eu, completamente dominada pelo tesão, obedecia a tudo. O cheiro dela estava bem mais forte que o usual, aquele cheiro e a situação estavam me deixando louca, estava morrendo de vontade de sentir o gosto dela, mas toda vez que tentava chupar ela puxava minha cabeça para longe.
"Quer sentir meu gostinho escravinha?", ela dizia rindo.
"Muito!", respondi.
"Então beije meus pés e implore".
O ar de superioridade dela e aquela situação humilhante me faziam pensar no quanto ela, metida do jeito que era, devia estar gostando daquela situação, o engraçado é que tudo isso apenas me dava mais tesão e me fazia ter mais vontade de obedece-la, se alguém de fora visse aquela cena, provavelmente iria achar meio ridícula, eu ajoelhada lambendo os pés da Adri e pedindo por favor que ela deixa-se eu sentir o seu gosto.
Ela ria muito é falava que eu era uma amiga muito teimosa e orgulhosa, mas que ela sempre soube que eu um dia perceberia qual era o meu lugar. Nisso ela se abaixa um pouco e começa a me tocar me levando ao primeiro orgasmo. Depois ela puxou minha cabeça até seu sexo, nossa que delicia, embora eu já tivesse chupado-a várias vezes, posso afirmar com certeza que nunca havia desejado tanto sentir o gosto de outra. Transamos loucamente, ela me fez dizer várias vezes que a partir daquele dia eu era dela e que ela podia me usar como desejasse, o que me deixava cada vez mais excitada.
Depois que nos vestimos, ela ainda fez eu beijar seus pés e calçar suas botas, já não estava mais excitada, nem sei por que continuei a obedece-la, mas até suas botas eu beijei.
Voltei para casa me sentindo meio humilhada, mas assim que cheguei e contei o que aconteceu para me marido o tesão voltou, transamos várias vezes e fiquei morrendo de vontade de receber ordens da Adri novamente. Agora que o tesão passou, estou com receio de como ficará nossa relação no trabalho de agora em diante.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

CAPTIONS - HOTWIFE + BOTAS

Combinação de 2 fetiches:
Hotwife (esposa puta) + Botas

Traduções livres, podem não estar 100% corretas 

- Querido, você poderia ver se eu coloquei algumas camisinhas na minha bolsa? As meninas vão me pegar em 5 minutos

- Obrigado por me deixar sair. Annie está no bar onde todos os torcedores
do time estão. Vou te mandar mensagem mais tarde e avisar se eu vou passar
a noite fora ou se quero ser pega em algum hotel quando acabar.


- O rapaz do trabalho da Annie disse que vai estar no bar essa noite. Annie me contou que ele
deve ter um pau enorme e uma boa pegada. Você se importaria se eu voltasse com ele essa noite, se ele me pedisse? 

- Não espere acordado. Alguns rapazes do time de futebol vão encontrar-nos na cidade e provavelmente eu não volto pra casa até de manhã.

- Você estava me esperando acordado então posso falar sobre ele? Ele era muito maior e melhor que você. Muito mesmo. Era isso que você queria ouvir, não era?!



- Isso mexe com você, quando eu saiu vestida assim, não é? Você adora isso porque os homens vão me olhar e saber que sua esposa é uma vadia


- Como estou? Eu quero que minha roupa deixe obvio que estou saindo na vontade, e procurando ser fudida essa noite. Está certo? Mais tarde te mando mensagem se eu encontrar alguém.


- Obrigado por me comprar essas botas amor. Eu aposto que os rapazes na balada vão adora-las


- Eu espero que você não fique triste só porque eles tem pintos maiores que o seu.



- Outra sexta-feira que você sai com sua esposa. Sentado na mesa, você ve ela parada no bar, esperando algum estranho chegar nela.



- Você está vendo aqueles 3 rapazes bonitos parados ali? Só um deles não me comeu. Olha e tenta adivinha qual. Vou te dar uma dica, não é nenhum dos negros.


- Eu provavelmente não volto pra casa hoje. Tina vai trazer algumas pessoas do trabalho dela e um dos rapazes é muito gostoso. Eu vou ver se ele tem vontade de ficar com a Tina e Eu. Você não se importa né?


- Oh amor, que noite! Você poderia tirar minhas botas e minha calça. 
Eu tenho uma surpresa pra você

- Não, ele não se importa que eu saia todo fim de semana com você. De fato, eu acho que isso mexe com ele, saber que eu vou ter a atenção de vários rapazes e desejar que eu vá pegar um deles e oferecer um sexo selvagem


- Eu amo como você não fica ciumento quando eu durmo fora com outros caras.




- Meu ex namorado Mike me acostumou a vestir essas botas quando transavamos. Você não sabia que ele iria para a festa essa noite, sabia?


- Eu trouxe um presente pra você querido. Você vai precisar tirar minha calça para ter ele


- Obrigado por subir aqui em casa Andy. Você sabe que o Steve está trabalhando essa noite então você é bem-vindo para ficar... para um drink. Nós poderiamos toma-lo lá em cima se você quiser.

- Vadia o suficiente amor? Certo, vamos encontrar alguém na balada para fuder sua namoradinha